O presidente do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM/PB), Dalvélio Madruga, enviou, ontem, um ofício aos gestores de saúde do Estado e do município e aos representantes do Ministério Público Estadual e Federal solicitando, com urgência, providências para se evitar conseqüências de proporções gravíssimas em relação à situação da saúde na Paraíba. O documento foi entregue ao secretário de Saúde do Estado, Geraldo Almeida, à secretária de Saúde de João Pessoa, Roseane Meira, à curadora da Saúde, Ana Raquel Beltrão, ao procurador do Trabalho, Eduardo Varandas, e à procuradora Geral de Justiça da Paraíba, Janete Ismael. Juntamente com o ofício, o presidente do CRM/PB encaminhou também a grave denúncia feita pelos médicos Ortopedistas e Traumatologistas sobre as condições de atendimento nos hospitais da capital e a Carta Nordeste, documento sobre a situação da saúde na região, produzido durante o II Encontro de Secretários de Saúde da Região Nordeste, realizado no último dia 11 de setembro, na cidade de Fortaleza, e que foi entregue ao Ministro da Saúde, José Gomes Temporão. No ofício, Dalvélio Madruga relata que está \”perplexo, apreensivo\” com as denúncias e que esta situação mostra que \”é evidente que a saúde não é prioridade, é patente o desprezo à população, é flagrante a intenção de desmoralizar, denegrir, execrar, os profissionais de Saúde; especialmente médicos, pois estão na ponte do atendimento das urgências, emergências em procedimentos de média e alta complexidade\”, diz um trecho do documento. O ofício é encerrado com a seguinte declaração: \”Não podemos ser responsabilizados pela incompetência governamental, em todas as evoluções desfavoráveis, sermos obrigados a desempenhar atividades em condições precárias e desfavoráveis, e muito menos, praticar trabalho voluntário. Diante do exposto, peço providências urgentes a fim de evitarmos conseqüências de gravíssimas proporções\”. Diretor do Trauma contesta existência de um dossiê O médico Jomar Paulo Neto, diretor Geral do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, rebateu informação da existência de um dossiê contendo \”supostas irregularidades\” no atendimento prestado à população, e acusou o presidente da Cooperativa dos Ortopedistas e Traumatologistas (Coort) de querer por pânico na população através de um \”arrazoado de meias verdades e muitas mentiras\”. Jomar Paulo Neto anunciou que vai convidar todas as entidades representativas da Saúde Estadual para conferir in loco o funcionamento do Hospital de Trauma, ressaltado por ele como a principal referência da Paraíba no atendimento às urgências e emergências. O Diretor Geral do Hospital de Emergência e Trauma disse que pretende desmentir as denúncias do médico Rômulo Soares de Castro apresentando apenas a verdadeira realidade do hospital, que atende mais de 600 pacientes diariamente oferecendo os mais variados serviços, todos de alta complexidade. \”Estaremos apresentado aos legítimos representantes do setor de saúde a real face do hospital, que possui problemas, porém muito distantes dos apresentados de forma irresponsável por esse cidadão\”, revela. (Outras notícias no banner “destaques CRM-PB” localizado na parte superior do portal

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.