O Brasil será sede de um dos cinco centros de referência para controle e pesquisa dos produtos derivados do tabaco, que estão sendo implementados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em todo o mundo. A escolha foi impulsionada pela parceria entre a Anvisa e o Instituto Nacional do Câncer (Inca), e tornará o país referência para toda a América do Sul e Caribe. Os danos causados pelo tabaco acarretam problemas sanitários graves, que sobrecarregam mundialmente os sistemas de saúde. Para reverter esse quadro, a OMS está criando a Rede Mundial de Laboratórios de Tabaco (TobLabNet), composta por cinco centros de referência, que propiciará a realização de análises e a mensuração dos conteúdos e substâncias existentes em diferentes amostras de tabaco. A iniciativa atende às recomendações da Convenção-Quadro, ratificada em 27/10, e fortalecerá o controle sanitário do produto. No Brasil, o laboratório será construído no Rio de Janeiro, próximo à Gerência de Produtos Derivados de Tabaco da Anvisa, já em 2006. A Agência firmou um Termo Contratual com a Fundação Bio-Rio/UFRJ, que cederá o terreno. Será elaborado, pela diretoria da Anvisa, um Projeto Conceitual e Básico que definirá as características e a infra-estrutura necessárias à implantação da iniciativa. O modelo de gestão a ser implementado será discutido com as instituições parceiras, como o Inca, o Instituto de Química da UFRJ, a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e a própria OMS. Informação: Assessoria de Imprensa da Anvisa

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.