Médicos não chegam a acordo e greve continua por tempo indeterminado Sindicato da categoria não descarta a possibilidade de uma demissão coletiva O vice- presidente do Sindicato dos Médicos da Paraíba (Simed-PB), Wandebergue Gomes de Albuquerque, reafirmou a permanência da greve nos hospitais de João Pessoa e nos postos do Programa Saúde da Família (PSF) por tempo indeterminado. Ele não descartou também a possibilidade dos profissionais da saúde pedirem demissão coletiva incluindo, também, a rescisão de contrato dos médicos cooperados com a Prefeitura. De acordo com ele, o movimento completa 25 dias hoje e o principal impasse é com relação ao valor pago pela Prefeitura pelo desempenho por produtividade dos médicos. A Secretaria de Saúde de João Pessoa informou que o prefeito Ricardo Coutinho recebeu a comissão dos médicos na última sexta-feira e acenou para mais uma garantia trabalhista para os profissionais do Programa Saúde da Família, concedendo , a partir de dezembro deste ano, parcela do 13º salário. Na ocasião, ainda teria sido oferecido um salário de R$ 4.537 para os médicos. O valor seria pago a partir de primeiro de junho. A secretaria também frisou que os gestores não podem conceder aumento salarial no período eleitoral e lembrou das melhorias realizadas nos setores de trabalho. Fonte: Data: 26/06/2008 Seção: Últimas Veículo: Jornal O Norte

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.