O consumo de bebidas alcoólicas por brasileiros cresceu 70,5%, de acordo com estatísticas da Organização Mundial de Saúde (OMS). Esse crescimento coloca o Brasil na lista dos 25 países que mais aumentaram o uso de bebidas alcoólicas, nos últimos anos. Atento a esses números, o governo brasileiro realiza, até esta quarta-feira (30/11), em Brasília, a I Conferência Pan-Americana de Políticas Públicas sobre o Álcool. Coordenado pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) e pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), o encontro reúne especialistas de 15 países para discutir e trocar experiências sobre o combate ao consumo abusivo da droga lícita mais usada nas Américas. Segundo o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Jorge Armando Felix, o encontro é fundamental para subsidiar a formulação de uma estratégica hemisférica sobre o tema. “Os dados estatísticos relativos ao consumo abusivo de álcool são assustadores. Precisamos unir esforços para alterar esses indicadores”, afirmou. Jorge Armando ressaltou que o Brasil obteve avanços significativos no que diz respeito ao combate à ingestão indevida de álcool. Destacou a criação da Câmara Especial de Políticas Públicas sobre o Álcool, presidida pelo Ministério da Saúde; o primeiro levantamento sobre o consumo de álcool no Brasil, feito pela Secretaria Nacional Antidrogas; e a Consulta Pública da Anvisa sobre regulamentação da propaganda de bebidas alcoólicas no país. Para o diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Raposo de Mello, que integrou a mesa de abertura da Conferência, a regulamentação da publicidade de bebidas alcoólicas é importante para evitar excessos e garantir que o consumidor tenha acesso a uma informação completa sobre os riscos da ingestão abusiva de álcool. “A Consulta Pública é um instrumento democrático de discussão. O texto final só será aprovado depois de consideradas as sugestões e contribuições da sociedade”, ressaltou. Informação: Assessoria de Imprensa da Anvisa

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.