trauma aline21O Conselho Regional de Medicina do Estado da Paraíba (CRM-PB) fiscalizou o serviço de urgência e emergência do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, nos dias 28 e 29 de julho. No primeiro dia foi vistoriado o setor destinado a adultos e, no dia seguinte, o serviço pediátrico. O setor de urgência do hospital realiza atendimento nas especialidades de clínica médica, cirurgia geral, pediatria, ortopedia, neurocirurgia, oftalmologia, otorrinolaringologia, urologia, neurologia clínica, cirurgia plástica, torácica e vascular e nefrologia. Há sobreaviso em cirurgia pediátrica e de cabeça e pescoço.⠀

A direção do hospital informou que a ocupação de leitos do hospital estava em 91%. Foram apresentadas as escalas médicos completas. A vistoria constatou superlotação nas áreas verde (pacientes internados em leitos dentro de consultórios médicos desativados) e amarela (capacidade para 25 leitos, mas havia 30 pacientes, sendo alguns aguardando exames ou decisão clínica do especialista). Em ambas as áreas, a distância entre os leitos era menor que 80cm. ⠀

Já na ala vermelha, que possui quatro leitos, todos estavam ocupados, sendo dois pacientes intubados, admitidos há mais de 12 horas, aguardando parecer da neurocirurgia. Na área laranja, dos 10 leitos, todos estavam ocupados, sendo nove pacientes intubados. Os médicos fiscais do CRM-PB foram informados que há previsão de que, em breve, os leitos destinados a pacientes covid-19 voltem a dar suporte à internação da área verde. ⠀

Outro problema encontrado no hospital foi quanto à regulação de pacientes, principalmente os com problemas vasculares, vindos dos hospitais Edson Ramalho e Napoleão Laureano. Também há dificuldade para referenciar pacientes da neurologia clínica, pela falta de hospital referência para casos de AVC isquêmico e convulsões.⠀

Já no dia 29, a equipe do CRM-PB fiscalizou o setor de urgência e emergência pediátrica do Hospital de Trauma. A equipe conta com dois pediatras 24 horas e a escala médica apresentada estava completa. A enfermaria pediátrica conta apenas com oito leitos, sendo cinco berços (dois ocupados no momento da vistoria) e três leitos (todos ocupados).

Portanto, faltam leitos para crianças maiores, já que as enfermarias 21 e 22, antes destinadas a pacientes pediátricos, agora estão realocadas para pacientes adultos.

Os médicos plantonistas relataram dificuldades relativas à falta de sala de reanimação pediátrica e informaram que foi extinta a antiga enfermaria de pediatria da Unidade de Queimados. Também foram relatadas dificuldades relativas à sala de medicação, já que esta é feita dentro da enfermaria de observação. Quando esta está lotada, a medicação tem que ser administrada aos pacientes sentados em cadeiras ou em leitos no corredor. Outra dificuldade informada foi a disponibilidade de apenas um computador para as duas pediatras de plantão e equipe de enfermagem, atrasando a rotina do serviço.

Os relatórios do Departamento de Fiscalização do CRM-PB foram entregues ao diretor técnico do hospital e à Secretaria Estadual de Saúde para que sejam tomadas as providências e corrigidas as irregularidades.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.